Sensibilidade à luz, ao som, a cheiros e a movimentos bruscos e náusea são alguns do sintomas associados à enxaqueca, um tipo dor de cabeça forte, de característica latejante e pulsátil. A doença afeta cerca de 15% da população brasileira – algo em torno de 31 milhões de pessoas, a maioria na faixa dos 25 aos 45 anos.

Em casos crônicos, a enxaqueca se torna bastante incapacitante, comprometendo a qualidade de vida e, por isso, requer tratamento especializado com companhamento regular com o médico neurologista focado neste tipo de doença.

De acordo com a neurologista da Clínica Cukiert, doutora Beatriz A. dos Anjos, “o tratamento para a enxaqueca crônica se baseia em métodos preventivos e de contenção de crises, sendo que em casos mais resistentes aos medicamentos orais, pode ser indicada a injeção de toxina botulínica para diminuir a frequência e a intensidade das crises dolorosas”.

Entendendo a toxina botulínica

As toxinas botulínicas são proteínas derivadas da bactéria Clostridium Botulinum, que têm sido formuladas há alguns anos como drogas para uso terapêutico, ou seja, de tratamento de doenças. Existem sete sorotipos diferentes de toxina botulínica: A, B, C1, D, E, F e G. Dentre estes, o sorotipo A é o mais potente e o que proporciona maior duração de seus efeitos. As toxinas botulínicas tipo A comercializadas no Brasil e usadas em neurologia, por exemplo, são a toxina onabotulínica, a abobotulínica e a incobotulínica.

O tipo A age sobre o mecanismo de dor, nos neurônios da cadeia de sensibilidade, justificando a indicação desta medicação no tratamento de enxaqueca crônica refratária (enxaqueca crônica em pacientes que não respondem ao uso de medicamentos).

Aplicação da toxina botulínica

A aplicação da toxina botulínica para tratamento da enxaqueca crônica deve ser realizada por um médico habilitado, considerando o conhecimento sobre a composição da medicação e os locais a serem injetados, sendo em média 30 pontos mapeados na região da testa, têmporas e nuca.

Quanto tempo dura a ação da toxina botulínica no organismo?

O início da ação da substância é gradual tendo, em média, 10 dias para o atingimento total de seus princípios e duração aproximada de três a quatro meses no organismo, dependendo da resposta de cada indivíduo.

IDENTIFICAÇÃO DA ENXAQUECA CRÔNICA

  • Afeta um único lado da cabeça (dos olhos até a nuca);
  • Dor latejante e pulsátil, de forte intensidade;
  • As crises de dor duram de 4h a 72h;
  • Intensidade forte;
  • Pode vir acompanhada de vômito, náusea, sensibilidade à luz, barulho, odor e movimentos.

Importante: A principal característica que diferencia a enxaqueca episódica da crônica é a frequência e duração dos sintomas, uma vez que na enxaqueca crônica eles persistem por 15 dias no mês (pelo menos), por mais de três meses.

 

Este conteúdo não substitui a orientação do especialista. Para esclarecer quaisquer dúvidas e realizar diagnósticos, consulte o seu médico.

EnglishPortugueseSpanish
Open chat
Olá. Agende sua consulta na Cukiert!