Existem alguns exames especiais que são solicitados pelos médicos para a investigação de doenças que afetam o sistema neurológico e um deles é o exame de eletroencefalograma (EEG). De forma geral, ele serve tanto para o diagnóstico quanto para o acompanhamento da evolução do tratamento. Para explicar em que casos o exame de eletroencefalograma pode ser solicitado e como é realizado, conversamos com a Dra. Cristine Mella Cukiert, neurologista responsável pelo procedimento aqui na Clínica Cukiert.

O que é e para que serve o exame de eletroencefalograma?

Ela nos explicou que o eletroencefalograma é um exame não-invasivo cujo objetivo é o monitoramento eletrofisiológico da atividade elétrica do cérebro e que pode ser realizado de diferentes formas, com tempo de duração que varia entre 30 minutos a 12 horas, quando realizado em regime ambulatorial.

Aqui na Clínica Cukiert, nós destacamos a realização do exame de eletroencefalograma prolongado com vídeo, que pode ter duração entre uma e doze horas e é realizado quando há necessidade de o paciente dormir ou de maior tempo de registro.

Como ele é realizado?

São fixados eletrodos no couro cabeludo do paciente, que são conectados a um software por meio de uma pasta condutora de eletricidade. Durante a realização, são feitas estimulações, como fotoestímulo (por meio de uma luz piscante intermitente) e hiperpnéia, em que solicitamos ao paciente que respire profundamente durante 3 minutos, sempre que for possível.

Quando o exame de eletroencefalograma é indicado?

Sempre que há suspeita de qualquer atividade anormal do cérebro.

Este exame é simples de ser realizado, mas requer paciência, especialmente na realização em crianças, uma vez que pode ser demorado e, em algumas vezes, precisar que o paciente esteja dormindo, podendo haver a necessidade de sedação. Nestes casos, os medicamentos utilizados aqui na clínica são o Dramin®, Hixizine®, Polaramine®, ou Melatonina. “São fatores que precisam ser avaliados e que destacam a nossa atuação no segmento, já que contamos com infraestrutura e equipe especializadas para ajudar a criança e os pais na melhor condução do exame”, conta a neurologista.

Entre algumas das indicações para o exame de eletroencefalograma estão:
Epilepsia;
• Síncope;
• Autismo;
Cefaleias (dores de cabeça);
• Demência;
• Sequelas de AVC;
• Transtorno de déficit de atenção (TDAH).

Qual é a preparação para o exame?

A preparação para o exame de eletroencefalograma é simples, com orientações para que o paciente esteja bem alimentado; com cabeça limpa (sem uso de gel ou condicionador que possa dificultar a fixação do eletrodo). Para o exame é indicado que o paciente tenha passado por certa privação de sono no dia anterior (cerca de 4 horas), assim terá mais facilidade de dormir.

Durante a realização, não é permitido o uso de telas (celulares, notebook e tablets). Estes aparatos mantêm o paciente em estado de alerta e evitam o relaxamento, podendo interferir no resultado.

Você ficou com alguma dúvida referente ao exame de eletroencefalograma? Então, entre em contato conosco pela recepção ou pelas nossas redes sociais (Facebook, Instagram e Youtube).

Este conteúdo não substitui a orientação do especialista. Para esclarecer quaisquer dúvidas e realizar diagnósticos, consulte o seu médico
.

 

Leia também:

Cirurgias para epilepsia podem controlar convulsões
O que é epilepsia?

EnglishPortugueseSpanish
Open chat
Olá. Agende sua consulta na Cukiert!