A cefaleia (dor de cabeça) em salvas é uma das condições mais dolorosas conhecidas pela humanidade e as mulheres que sofrem com ela a descrevem como sendo pior do que a dor do parto. Os sintomas  costumam ser dor unilateral (de um só lado), geralmente centrada sobre um olho, um templo ou a testa.

Durante um surto de cefaleia em salvas, o sofrimento é frequentemente sentido em um horário similar a cada dia. Geralmente, esse tipo de cefaleia começa à noite, acorda as pessoas uma ou duas horas depois de terem ido dormir; atinge sua intensidade máxima entre 5 e 10 minutos e dura (nesse nível agonizante) de 30 a 60 minutos. Em alguns casos, pode durar de 15 minutos a três horas. Em seguida, a dor some de forma bastante abrupta – e isso pode ocorrer várias vezes ao ongo longo do dia.

De forma geral, as pessoas com cefaleia em salvas não conseguem ficar paradas durante uma crise e, muitas vezes, tentam aliviar a dor agonizante andando de um lado para o outro – já aconteceu de baterem com a cabeça contra a parede até a dor diminuir.

Outros sintomas característicos desse tipo de dor de cabeça, mas pouco frequentes são:
– Nariz entupido ou coriza do mesmo lado da dor;
– Pálpebra caída;
– Vermelhidão em um olho;
– Pode ser genético.

Diagnóstico
Não existe um teste especial para diagnosticar a cefaleia em salvas e, por isso, o seu médico terá de ter um histórico muito detalhado de todos os seus sintomas a fim de fazer o diagnóstico correto. Você pode ser encaminhado para uma ressonância magnética para descartar outras causas da dor.

O álcool é um conhecido gatilho de cefaleia em salvas, por isso é indicado que quem sofre do problema não beba. Fumantes pesados ​​têm um risco maior de desenvolver cefaleia crônica, de modo que vale a pena considerar abandonar o cigarro ou reduzir o consumo.

Artigo produzido por Dr. Arthur Cukiert e veiculado no site Veja Online. Matéria original disponível aqui.

Imagem: Freepick

EnglishPortugueseSpanish
Open chat
Olá. Agende sua consulta na Cukiert!