T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Epilepsia | Dicas Importantes

Fatos e estatísticas

Clínica de Epilepsia

Crises epilépticas desenvolvem-se em cerca de 1.3% da população brasileira. Cerca de 2.000.000 de brasileiros já foram diagnosticados como epilepticos. Destes, cerca de 70% são crianças. Acidentes vasculares cerebrais, doença cardiovascular, tumores cerebrais e doença de Alzheimer são as causas de epilepsia em mais de 70% dos casos.

Crises epilepticas podem ter efeitos devastadores sobre o emprego de seus portadores. Crianças com epilepsia estão especialmente sujeitas a dificuldades no aprendizado. A gravidez apresenta um outro problema para as mulheres que possuem crises epilepticas. Cerca de 20% dos epilépticos possuem epilepsias não controladas. Meninas que possuem crises refratárias possuem enormes problemas com autoestima, depressão e comportamento. As crises em si podem algumas vezes serem fatais, especialmente se prolongadas.

Informação e Educação

Primeiros os socorros para as crises

No que diz respeito às convulsões, também chamadas de crises tônico-clônicas, generalizadas ou de grande mal, coloque um travesseiro sob a cabeça do indivíduo; desaperte a gravata caso exista e coloque a pessoa deitada sobre seu lado. Não restrinja seus movimentos. A crise terminará espontaneamente. Não tenha medo: ofereça ajuda. Embora a maioria das crises em epilépticos termine naturalmente sem nenhum tratamento de emergência, uma crise em pessoa que não possui epilepsia pode ser o sinal de uma doença grave. Chame assistência médica caso a crise dure mais de cinco minutos; caso a pessoa não seja epiléptica ou não possua um cartão de identificação médica ou se a recuperação da crise for muito lenta. Também procure auxílio caso uma segunda crise ocorra imediatamente a seguir; se houver dificuldade na respiração após a crise; se a pessoa estiver grávida; se possuir identificação de ser portadora de alguma outra doença ou caso haja algum sinal de trauma crâniano ou em outras partes do corpo.

Dicas para uma vida mais segura

Todos nós temos riscos em nossa vida diária. Ter epilepsia ou uma síndrome que inclua crises epilépticas pode aumentar o risco de trauma para essas pessoas quando comparadas às outras. Depende muito do tipo de crise que essas pessoas têm, quão frequentes elas são e o tipo de atividades que essas pessoas exercem. O menu que se segue contém dicas de segurança de modo a tentar reduzir os riscos de trauma nas pessoas portadoras de crises. Ele será provavelmente útil para as pessoas cujas crises levam-nas a cair, perder a consciência ou as tornam momentaneamente inconscientes do que estão fazendo ou do que está ocorrendo ao seu redor.

Dicas de segurança para os banheiros

Coloque as portas do banheiro de modo que elas abram de dentro para fora ao invés do convencional. Assim, caso a pessoa caia no interior do banheiro, a porta ainda poderá ser aberta. Caso o banheiro possua tapetes ou seja acarpetado, coloque um estofamento extra-grosso. Quando o indivíduo for ocupar o banheiro, peça para que ele coloque um sinal de ocupado na porta ao invés de trancá-la. Verifique rotineiramente se os ralos do banheiro estão funcionando adequadamente antes de tomar uma ducha. Caso você caia frequentemente nas crises, considere a possibilidade de usar uma espécie de cinto de segurança. Mantenha os níveis da água da banheira sempre baixo. Mantenha a temperatura da água o mais baixo possível para que você não se queime caso perca a consciência durante o banho. Evite a todo custo utilizar aparatos elétricos durante o banho, tais como secador de cabelo ou barbeador elétrico.

Dicas de segurança na cozinha

Caso você queira transferir comida quente de um lugar para outro, deslize as tigelas ou pratos ao invés de levantá-los no ar ou os coloque sobre uma mesa com rodas de modo que caso você tenha uma crise, o alimento quente não caia sobre você. Use pratos plásticos e com tampa de modo que você evite que comida quente possa espalhar-se em sua direção ou que você se corte caso os mesmos caiam no chão durante uma crise. Use um forno de micro-ondas para cozinhar e não um forno convencional. Remova os botões de controle de fogões a gás ou elétrico quando você não os estiver utilizando. Se houver nescessidade de utilizar um forno, se utilize de algo bastante longo para pegar as travessas, de modo que sua mão fique longe do forno. Utilize sempre luvas grossas de borracha quando lidar com facas ou pratos que possam quebrar enquanto estão sendo lavados. Utilize, de uma maneira geral, invólucros de plástico ao invés de vidro.

Dicas de segurança na casa

Acarpete sua casa com tapetes bastante felpudos. Em todos os cantos agudos de sua mobília coloque reforços arredondados, da mesma maneira como se utiliza para crianças pequenas. Coloque proteção adequada em volta de lareiras; ou melhor ainda, mantenha sempre a lareira totalmente fechada quando o fogo estiver queimando. Não fume ou acenda a fogueira quando você estiver sózinho. Não carregue brasas da lareira ou velas acesas enquanto você estiver sozinho. Evite posicionar-se perto de aquecedores elétricos ou a gás. Utilize ferro de passar com pontas arredondadas e com mecanismo que o desligue automaticamente para prevenir queimaduras. Utilize cadeiras que possuam braços para evitar quedas eventuais. Tenha certeza de que equipamentos que possuam motores, tais como cortadores de grama, possuam mecanismo que o desligue assim que você soltar a manopla do mesmo. Deste modo ele se desligará caso você tenha alguma perda de consciência.

Dicas de segurança locais de trabalho

Quando iniciar em um emprego, veja quais são os possíveis riscos relativos ao local do seu trabalho que possam dizer respeito a você. Poderia algo ser mudado para torná-lo mais adequado às suas nescessidades? Pense em contar aos seus colegas de trabalho que você tem epilepsia ou que você tem crises e conte para eles as principais dicas de primeiro atendimento de acordo com a crise que você tem. Escale somente locais baixos o suficiente para caso você tenha uma crise não ocorram problemas maiores, em especial se o chão for de concreto e não houver rede de segurança. Caso você trabalhe com maquinário, verifique as características de segurança tais como desligamentos automáticos e outros efetivos de segurança. Tente manter um horário consistente de trabalho, de modo que você não tenha que ficar sem dormir. Caso você seja sensível há flashes de luz, tente limitar a sua exposição aos mesmos. Olhe para outro lado quando eles ocorrerem ou utilize-se de óculos escuros. Algumas pessoas acham lentes azuis melhores dentro do ambiente de trabalho. Você acha que o stress torna suas crises mais frequentes? Se você acha que seu trabalho é estressante, procure maneiras de diminuir o stress no seu trabalho e na sua vida de uma maneira geral.

Dicas de segurança transporte

Nunca dirija a não ser que você tenha uma carteira de habilitação válida e não esteja tendo crises há pelo menos um ano. Se você não pode dirigir em consequência de sua epilepsia, informe-se sobre os serviços de taxi por telefone e sobre suas opções de transporte público. Quando utilizar uma bicicleta, use sempre capacete, proteções de joelho e proteções de cotovelo. Sempre que possível, ande de bicicleta nas estradas paralelas a elas destinadas ou mesmo nas calçadas destinadas a bicicletas. Mantenha-se longe da rua quando estiver esperando por um onibus e bem longe da borda livre da plataforma quando estiver esperando um trem ou metrô. Caso você vague sem direção durante suas crises, é adequado que você sempre leve um colega junto consigo durante suas viagens. Caso você note que as escadas rolantes são extremamente perigosas para você, utilize o elevador ao invés das mesmas. Se você sairá em tempo extremamente frio, faço-o junto de um amigo ou de um acompanhante.

Dicas de segurança na recreação

Quando você fizer exercícios, faça intervalos frequentes. Mantenha-se calmo e realize seus príncipais esforços físicos na porção mais fria do dia. Exercite-se somente em superfícies lisas, tais como grama e madeira lisa. Calcule os riscos de realizar um esporte que possa colocá-lo em perigo caso você perca a consciência subitamente. Utilizar uma vestimenta de segurança é uma boa idéia quando você vai estar perto ou dentro da água. Nadar pode ser divertido para todo mundo, mas se você tem crises evite nadar desacompanhado. Avise os salva-vidas e seus amigos com quem voce está nadando o tipo de crise que você tem, como reconhece-las e o que fazer caso você tenha uma delas. Tenha certeza de nadar perto o suficiente das pessoas que possam eventualmente ajuda-lo. Utilize capacete de proteção quando estiver praticando esporte de contato ou quando ocorrer risco de queda ou trauma craniano. Se você esquia ou escala, vá sempre com um colega. Você pode necessitar de alguém que o ajude se ocorrer uma crise em uma área remota. Ao esquiar, utilize-se sempre o cinto de segurança e o gancho para conectá-lo ao elevador de esqui.

Dicas de segurança para crianças

Um monitor eletrônico no quarto da criança poderá alertá-lo para o som de uma crise típica. Evite camas altas. Uma cama baixa, uma cama convencional ou mesmo um colchão colocado diretamente sobre o chão são locais mais seguros para uma criança com crises. Dormir com um capacete de proteção para cabeça e para face pode proteger a criança de traumas crânianos severos, em especial aquelas que possuam crises com quedas frequentes. Faça com que sua criança utilize sempre uma vestimenta de segurança quando estiver próxima da água, incluindo piscinas de quintal. Supervisione de perto o banho de chuveiro ou banheira de suas crianças. Pendure uma lista com passos para primeiros socorros caso haja uma crise na geladeira ou em outro lugar bastante fácil de encontrar. Caso você tenha babá, converse com ela sobre os passos para primeiros socorros. Escreva o número de telefone onde você ou um parente possa ser alcançado caso algo incomum ocorra. Inclua também o nome do médico e um número de emergência nestas condições. Caso sua criança vá dormir na casa de um amiguinho, tenha certeza de que a lista de telefones de contato também vá junto com ela e de que algum dos adultos da casa onde ela está saiba exatamente o que esperar e o que fazer caso uma crise ocorra.