T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

VALPROATO ENDOVENOSO EM CIRURGIA DE EPILEPSIA E MONITORIZAÇÃO PROLONGADA COM VIDEO-EEG

A Cukiert, JA Burattini, JO Vieira, PP Mariani, C Baise, C Baldauf, M Argentoni, L Frayman, VA Mello, L Seda, RLB Camara, PRS Mendonça.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia, Hospital Brigadeiro e Clínica de Epilepsia de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil.

INTRODUÇÃO: Fenitoína é a opção usual quando drogas antiepilépticas endovenosas são necessárias em procedimentos de emergência, cirurgias cerebrais ou no fim de sessões de monitorização de vídeo-EEG. Por outro lado, os efeitos colaterais de sua infusão são freqüentes e muitas vezes severos. Nós utilizamos valproato endovenoso como alternativa em pacientes com antecedentes de reações alérgicas severas à fenitoína e fenobarbital em procedimentos cirúrgicos e no final de sessões de vídeo-EEG.

MÉTODOS: Dois pacientes com reação prévia severa à fenitoína e ao fenobarbital, que necessitaram ser submetidos à cirurgia para tratamento de epilepsia, receberam infusão de valproato endovenoso (25mg/kg). Um deles foi submetido à cortico-amígdalo-hipocampectomia e o outro à calosotomia. Sete pacientes submetidos à retirada de drogas antiepilépticas e registros prolongados de vídeo-EEG receberam infusão de valproato endovenoso ao final de cada sessão. Os registros de vídeo-EEG prosseguiram por 2 horas após a infusão.

RESULTADOS: O procedimento cirúrgico ocorreu sem intercorrências em ambos pacientes submetidos à cirurgia que receberam valproato endovenoso; não houve crises no período pós-operatório. O valproato foi tão eficaz quanto a fenitoína em cessar imediatamente as crises no final das sessões de vídeo-EEG. Nenhum efeito colateral significante foi notado. Em um paciente com status parcial que não respondeu à fenitoína endovenosa, houve remissão do status após a administração do valproato.

CONCLUSÕES: Valproato endovenoso é uma alternativa útil à fenitoína quando drogas antiepilépticas endovenosas são necessárias em procedimentos não-cirurgicos (p.e., vídeo-EEG). O número e a função das plaquetas parece não ser afetado pelo uso agudo em infusão de 25 mg/kg, como realizado em nossos pacientes submetidos à cirurgia. Estudos adicionais sobre eventuais efeitos adversos sobre os mecanismos de coagulação em uma população cirúrgica são necessários.