T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

TRATAMENTO CIRÚRGICO DE PACIENTES COM EPILEPSIA DO LOBO TEMPORAL (ELT) REFRATÁRIA, ESCLEROSE MESIAL UNILATERAL À RM E CALCIFICAÇÕES NEUROCISTICERCÓTICAS

Machado E, Buratini JA, Argentoni M, Ferreira VB, Cukiert A, Forster C, Frayman L, Ferreira VB, Sousa A, Vieira J.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia do Hospital Brigadeiro e Clínica de Epilepsia de São Paulo, São Paulo SP.

Introdução: A neurocisticercose (NC) é etiologia comum de epilepsia em nosso meio. Cerca de 50% dos pacientes com NC cursam com epilepsia e muitos deles evoluem com a formação de calcificações intracranianas (CIC). O presente estudo relata o valor localizatório das CIC em pacientes com ELT associada a EM temporal.

Material: Vinte e cinco pacientes com ELT, EM unilateral à RM e CIC à TC foram estudados. Seis pacientes possuíam somente uma calcificação e em somente 1 ela se encontrava no lobo temporal com EM. Dentre os 19 pacientes com calcificações múltiplas, 5 possuíam calcificações nos lobos com EM. Dezoito pacientes possuíam EEG intercrítico unitemporal e 7 apresentavam descargas bitemporais independentes. A idade variou de 18 a 48 anos (m=30), a frequência das crises de 1-10 x / semana (m=3) e o tempo de seguimento de 1-48 meses (m=19). Todos foram submetidos à cortico-amígdalo-hipocampectomia ipsolateral à EM.

Resultados: Vinte e três pacientes estão sem crises; 2 encontram-se em Engel II (1 com calcificação única e 1 com calcificações múltiplas). Não houve morbi/mortalidade cirúrgica.

Discussão: Na população estudada, a EM tem maior valor localizatório do que as CIC. Nos pacientes com CIC e RM normal persiste o problema de localização, devendo estes serem investigados a despeito das CIC. Pacientes com EM e CICs representam cerca de 8% dos casos de nossa série global, uma alta prevalência mesmo levando-se em conta o caráter endêmico da NC em nosso meio. É possível que a formação da EM esteja relacionada nestes pacientes a processos encefalíticos clínicos ou subclínicos, localizados ou à distância, induzidos pelos cisticercos.