T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

SÍNDROMES FRONTAIS E PARIETAIS PÓS-OPERATÓRIAS IMEDIATAS EM PACIENTES SUBMETIDOS A RESSECÇÕES CORTICAIS NO TRATAMENTO DE EPILEPSIAS REFRATÁRIAS

Cukiert A, Forster C, Frayman L, Ferreira VB, Machado E, Buratini JA, Sousa A, Argentoni M, Vieira J.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia do Hospital Brigadeiro e Clínica de Epilepsia de São Paulo, São Paulo SP.

Introdução: Extensas ressecções frontais e parietais podem ser necessárias no tratamento das epilepsias refratárias. A ressecção destas regiões sempre causou preocupação sob o ponto de vista de introdução de novos deficits neurológicos. Este estudo descreve os principais eventos neurológicos percebidos imediamente após estas extensas ressecções.

Material: Dezesseis pacientes submetidos a ressecções frontais (5 à esquerda; 11 à direita)(grupo I) e 9 submetidos a ressecções parietais (5 à esquerda; 4 à direita)(grupo II) foram estudados. Todos foram operados sob anestesia geral e mapeamento da área motora pré- ou peroperatória. Todos tiveram suas ressecções definidas por RMN pós-operatória.

Resultados: Sete pacientes do grupo I demonstraram algum sinal ou sintoma pós-operatório: 7 ficaram apáticos (média 7 dias; 2-10 dias; 3 com ressecções à esquerda e 4 à direta), 7 possuíram incontinência urinária (média 9 dias; 1-10 dias; 4 com ressecções à esquerda e 3 à direita), 1 teve hemiparesia transitória (7 dias; ressecção direita) e 2 heminegligência (5 dias em um e 7 dias no outro, ambos após ressecções em hemisfério não-dominante). No grupo II, 4 pacientes exibiram alterações pós-operatórias: deficit de reconhecimento de faces (duração de 2 semanas em 1 e definitivo em outro), hemiparesia em 1 (definitiva, grau IV) e parestesias em hemicorpo contralateral em 2 (5 dias em ambos).

Discussão: Síndromes pós-operatórias imediatas ocorrem em cerca de 50% dos pacientes submetidos a extensas ressecções frontais e parietais. São em geral transitórias e têm duração menor que 10 dias, sendo que os pacientes deixam o hospital assintomáticos. O pós-operatório de pacientes submetidos a estas ressecções é em geral bem tolerado. Ressecções parietais parecem associadas à maior prevalência de deficits neurológicos / neuropsicológicos pós-operatórios quando comparadas às ressecções frontais.