T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

PREDOMÍNIO CONTRALATERAL DE DESCARGAS EM PACIENTE COM LESÃO HEMISFÉRICA UNILATERAL
UM ESTUDO NEUROFISIOLÓGICO

Buratini JA, Argentoni M, Ferreira VB, Cukiert A, Forster C, Frayman L, Ferreira VB, Machado E, Sousa A, Vieira J.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia do Hospital Brigadeiro e Clínica de Epilepsia de São Paulo, São Paulo SP.

Introdução: O predomínio das descagas epilépticas contralateralmente ao hemisfério com macro-lesões anatômicas já foi descrito, porém sua fisiologia é pouco estudada Calosotomias têm sido utilizadas no tratamento das epilepsias generalizadas secundárias refratárias (EGS-R), visando a ruptura da sincronia bilateral secundária (SBS). Alguns pacientes portadores de EGS-R possuem crises clinicamente focais mas com concomitante eletrográfico generalizado e não localizatório. Este estudo relata paciente onde a calosotomia foi utilizada no sentido de tornar as descargas lateralizadas em um paciente com SBS e crises focais.

Relato de caso: CS, 19 anos, possuía crises desde os 7 anos de idade. As crises eram versivas para a direita com perda da consciência, generalização eventual e predomínio durante o sono (frequência diária). O EEG intercrítico mostrava descargas generalizadas e SBS com nítida acentuação à DIREITA. O EEG crítico não era localizatório, porém as descargas predominavam em amplitude à DIREITA. RM mostrava hemiatrofia hemisférica ESQUERDA. Foi submetida à calosotomia maximizada (90%). O EEG interictal pós-operatório mostrava descargas agora restritas ao hemisfério ESQUERDO, com ocasionais episódios de SBS, de predomínio também à esquerda. O EEG ictal persistiu não localizatório, porém agora lateralizado à esquerda. Foi submetida à implante subdural com cobertura de toda a convexidade fronto-temporo-parietal e superfície mesial esquerda. As crises originavam-se de ampla área fronto-parietal esquerda. A estimulação cortical gerou as crises típicas a partir da área versiva dos olhos e da área motora suplementar. Realizou corticectomia frontal esquerda envolvendo a área versiva dos olhos e área motora suplementar. Não houve morbidade pós-operatória. Encontra-se em Engel II após a cirurgia (crises apenas eventuais).

Discussão: Muitos pacientes que aparentemente possuem epilepsias generalizadas possuem em verdade epileptogênese focal. Representam grande desafio em termos de localização e determinação de uma área ressecável cirurgicamente. Em pacientes selecionados com EGS-R e SBS, a calosotomia pode ser utilizada como procedimento diagnóstico inicial e fazer parte do arsenal disponível para o tratamento destes pacientes.