T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

RESULTADOS CIRÚRGICOS EM PACIENTES BITEMPORAIS COM RMN NORMAL OU ESCLEROSE MESIAL TEMPORAL (EMT) BILATERAL
UM ESTUDO COM ELETRODOS INVASIVOS

Arthur Cukiert, Cassio Forster, Leila Frayman, Viviane Ferreira, Elcio Machado, Jose Augusto Buratini, Alcione Sousa.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia do Hospital Brigadeiro e Clínica de Epilepsia de São Paulo, São Paulo SP.

Introdução: A presença de EMT unilateral à RMN é um excelente sinal localizatório na epilepsia do lobo temporal (ELT). Por outro lado, pacientes com ELT podem possuir RMN normal ou com EMT bilateral. Este estudo descreve a investigação neurofisiológica invasiva e os resultados cirúrgicos neste tipo de pacientes.

Material: Três pacientes adultos foram incluídos nesta série. Todos possuíam crises parciais simples e complexas e descargas interictais bitemporais independentes. Registros ictais não foram localizatórios. Dois pacientes possuíam RMN normal e 1 EMT bilateral. SPECT interictal e ictal foram realizados nos pacientes com RMN normal. SPECT ictal localizou corretamente o foco (de acordo com registros invasivos posteriores). Em 1 paciente, SPECT interictal foi normal e em outro a lateralização foi incorreta. Todos os pacientes foram submetidos a registros invasivos com placas subdurais cobrindo o neocortex temporal desde o parahipocampo até o giro temporal superior, bilateralmente.

Resultados: As crises originaram-se de somente 1 lado em todos os pacientes. Eles foram submetidos à cortico-amígdalo-hipocampectomia com extensa ressecção mesial. Todos os pacientes estão sem crises desde a cirurgia.

Discussão: Registros invasivos permanecem como o padrão-ouro para localização clínica em pacientes com ELT com RMN normal ou com EMT bilateral. SPECT ictal é provavelmente o melhor parâmetro não invasivo.