T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

NEUROPSICOLOGIA DA ÍNSULA

Ana Regina Caner-Cukiert, Beatriz Lefevre, Arthur Cukiert, Mario Andrioli, Cassio Forster, Viviane Ferreira, Leila Frayman.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia, Hospital Brigadeiro e Clínica de Diagnóstico e Terapêutica das Epilepsias de São Paulo.

O cortex insular representa conjunto de difícil estudo neuropsicológico e neurofisiológico já que o mesmo encontra-se recoberto pelos cortices frontal e temporal. A síndrome epiléptica originada na ínsula possui inúmeras características similares à epilepsia do lobo temporal (ELT). Lesões focais da ínsula são relativamente raras, dificultando ainda mais a definição de seu envolvimento em processos cognitivos. O presente estudo relata achados neuropsicológicos em pacientes epilépticos com lesões insulares. Caso I: M.A., 47 a, crises parciais simples e complexas refratárias há 8 anos. O EEG mostrava foco temporal direito; a RMN mostrou cavernoma na porção anterior da ínsula. Foi submetida a lesionectomia com ECoG, havendo ressecção da lesão e parte da ínsula, sem ressecção temporal. Encontra-se sem crises desde a cirurgia. Seus achados neuropsicológicos mostraram deficits de memória visual (hipocampo normal à RMN) bem como disfunção frontal não dominante. Não houve modificação no pós-operatório. Caso II: S.F.K., 30 anos, crises parciais simples e complexas há 22 anos. EEG mostrou foco temporal esquerdo; RMN mostrou esclerose mesial temporal esquerda e atrofia da ínsula anterior. Foi submetida à cortico-amígdalo-hipocampectomia e ressecção da ínsula anterior guiadas por eletrocorticografia. Encontra-se sem crises no pós-operatório. No pré-operatório, esta paciente possuía deficit de memória verbal compatível com esclerose mesial temporal. No pós-operatório, manteve o mesmo deficit de memória verbal e obteve melhora na memória visual. Desenvolveu deficit transitório (2 meses) de nomeação com fluência verbal normal. Além de relacionar-se com diversos processos autonômicos com características límbicas, a ínsula anterior parece também funcionar como relê de integração entre os cortices frontal e temporal.