T. 11 3846.3272 / 3846.3273 | contato@cukiert.com.br
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 247 - 12° and. Cj. 21
São Paulo/SP - Brasil - CEP 04544-000

Clínica de Epilepsia | Trabalhos em Congressos

EFEITOS DA CORTICO-AMÍGDALO-HIPOCAMPECTOMIA NAS PSEUDO-CRISES DE PACIENTES PORTADORES DE EPILEPSIA REFRATÁRIA E PSEUDO-CRISES

Ferreira VB, Cukiert A, Forster C, Frayman L, Ferreira VB, Machado E, Buratini JA, Sousa A, Argentoni M, Vieira J.

Serviço de Cirurgia de Epilepsia do Hospital Brigadeiro e Clínica de Epilepsia de São Paulo, São Paulo SP.

Introdução: Pseudo-crises são mais prevalentes na população de epilépticos refratários do que na população geral. As séries mais antigas consideravam a concomitância de pseudo-crises como uma contra-indicação para cirurgia. Mais recentemente, pacientes com pseudo-crises têm sido operados desde que a diferente natureza das crises seja compreendida pela família. Este estudo relata o efeito da remissão das crises epilépticas obtida por meio de cirurgia na frequência das pseudo-crises.

Métodos: Sete pacientes adultos com epilepsia refratária do lobo temporal foram estudados. Todos possuíam pseudo crises confirmadas por vídeo-EEG ou pela visualização direta do episódio. Todos os pacientes foram submetidos a cortico- amígdalo-hipocampectomia. Todos estão sem crises epilépticas desde então.

Resultados: Em 6 pacientes, as pseudo-crises desapareceram em conjunto com as crises reais. Uma paciente persiste com pseudo-crises pós-operatoriamente (iguais em frequência e tipo).

Discussão: As pseudo-crises parecem de alguma forma estarem associadas às crises verdadeiras nesta população de pacientes. Se bem que a maioria dos pacientes portadores de pseudo-crises obtém melhora das mesmas após cirurgia, as mesmas podem permanecer inalteradas e continuarem a representar problema de adaptação psico-social.